FISIOTERAPIA NO MAL DE PARKINSON APLICADA NO TRATAMENTO

FISIOTERAPIA NO MAL DE PARKINSON APLICADA NO TRATAMENTO

Aliada importante para proporcionar mais qualidade de vida e bem-estar.

Atividades físicas são essenciais para a rotina de vida de qualquer pessoa que queira manter a saúde em dia e prevenir doenças no futuro. A fisioterapia no Mal de Parkinson, orientada por um medico especializado na doença, ajuda a deixar a pessoa mais independente para as tarefas diárias e melhora o estado físico. Esses exercícios acompanhados por profissional são aliados no controle da enfermidade.

Um programa de exercícios, prescrito pelo médico, deve ser acompanhado/avaliado por um fisioterapeuta e com o envolvimento da família ou de quem cuida do doente. O intuito é ajudar no equilíbrio e aumento da resistência, trabalhar o condicionamento cardiovascular, além de exercícios que, também, fortaleçam a postura. Lembrar que os sintomas mais importantes da doença estão relacionados a parte motora do corpo.

Modalidades de exercícios

  • Exercícios de relaxamento: com atividades que envolvem balanceio lento e cuidadoso do tronco e membros, por exemplo. É importante ministrar essa série logo no início da sessão, a fim de diminuir a rigidez, tremores e ansiedade;

  • Exercícios de alongamentos: nessa fase se alongam os braços, tronco, cintura escapular/pélvica e pernas. O fisioterapeuta acompanha/ajuda e o paciente desenvolve;

  • Reforço muscular: são realizados sentado ou em pé. Os exercícios consistem em movimentar os braços e pernas e rotações do tronco. Podem ser utilizados elementos como bastões, elásticos, bolas e pesos leves.

  • Exercícios para postura: buscam a extensão do tronco. É importante serem realizados em frente ao espelho para que o paciente tenha noção da postura correta;

  • Exercícios respiratórios: trabalham a respiração por meio do diafragma para obter maior controle respiratório;

  • Exercícios para a face: trabalho com movimentos de abrir e fechar a boca, sorrir, franzir as sobrancelhas, abrir e fechar os olhos, soprar um canudo ou um apito e mastigar os alimentos;

Sempre é possível melhorar! Se você tem Parkinson procure ajuda de um geriatra.