TRATAMENTOS ALTERNATIVOS PARA ALZHEIMER – SAIBA MAIS

TRATAMENTOS ALTERNATIVOS PARA ALZHEIMER – SAIBA MAIS

É importante não só integrar a pessoa com Alzheimer, mas proporcionar atividades que o estimulem no dia a dia.

Em primeiro lugar é importante saber que tratamentos alternativos para Alzheimer são complementares ao uso de remédios. É importante que todas as possibilidades sejam não só acompanhadas, mas indicadas por profissionais de saúde especializados.

Não é só integrar com a pessoa que tem Alzheimer, mas proporcionar atividades que o estimulem no dia a dia. Tudo isso levando em consideração o que a pessoa já sente prazer em realizar: se gosta de dança, arte, jardinagem, esporte… criar ambientes em que essas atividades possam ser realizadas levando em consideração a situação física e mental do individuo. Esses exercícios devem ser orientados pelo geriatra e executados pela equipe multiprofissional.

Estudos comprovam que atividades baseadas no estimulo e treinamento cognitivo como memória, linguagem, atenção, além das sociais e físicas preservam e favorecem a funcionalidade. Isso possibilita mais qualidade de vida para o paciente e para a família. Essa, por sua vez, deve estar totalmente integrada a essas rotinas.

No entanto, é importante ficar atenção as sobrecargas diárias de atividades. Não é por que a pessoa gosta de pintar, por exemplo, que ela vai passar o dia em frente a uma tela. As atividades têm que ser não só agradáveis, mas compatíveis com as capacidades e o quadro clínico do paciente.

Essas atividades de tratamentos alternativos para Alzheimer podem ser divididas em diferentes grupos de estimulo:

Primeiro – Estimulação cognitiva: baseada em intervenções que possibilitem a potencialização de habilidades que estimulem o uso de pensamento, linguagem, memória, raciocínio lógico, atenção, e planejamento.

Segundo – Estimulação social: criar espaços de interação/integração familiar que estimulem habilidades de comunicação, convivência e afeto. Também é importante propiciar momentos de lazer, de atividades culturais e celebrações de datas importantes da família e culturais.

Terceiro – Estimulação física: atividades físicas e de fisioterapia possibilitam, além dos benefícios neurológicos, flexibilidade, força muscular, equilíbrio e melhora na coordenação motora. Algumas pesquisas mostram que a regularidade dessas atividades ajuda a retardar a evolução da doença.

Sempre é possível melhorar. Hoje existem muitos recursos para ajudar. Procure ajuda!